O que você pensa quando imagina um site hackeado? Provavelmente um site fora do ar ou com uma mensagem comunicando a invasão no lugar da página inicial, certo? Bom, infelizmente, nem sempre acontece dessa forma.

Ter o site hackeado é um dos pesadelos dos empreendedores que dependem do canal virtual para divulgar o seu negócio e vender seus produtos e serviços. Mas o que muitos deles não sabem é que um site pode ser hackeado sem que o seu dono perceba.

Embora seja bem comum que os sites hackeados fiquem fora do ar ou exibam um aviso do buscador informando que ele pode conter um malware, em outros casos o dono e os visitantes podem nem notar que a segurança foi violada.

Por que os sites são hackeados

Uma das metas de um cibercriminoso em invadir um site sorrateiramente pode ser incluir links e atalhos que apontem para o site dele.

Eles fazem isso porque o Google e outros buscadores consideram que ter  um site citado por outro pode significar relevância, e sites relevantes merecem um posicionamento melhor nos resultados de busca.  Com isso, ele consegue aproveitar a reputação do site da vitima para promover, secretamente, seu próprio site.

A outra motivação é ainda mais sinistra. Muitos criminosos hackeiam sites para instalar malwares, programas maliciosos que roubam logins e senhas, incluindo dados bancários e acessos de e-mails, por exemplo.

Além de roubar as informações do dono do site, o malware o usa como um hospedeiro. Isso o torna capaz de infectar os computadores e outros dispositivos de quem visitar o site afetado.

Assim, até que alguém note que o site foi invadido, muitas pessoas que tenham o acessado, e até o próprio dono, podem acabar tendo suas informações roubadas.

Com esses dados, os invasores podem fazer compras em nome das vítimas, realizar fraudes e até chantageá-las e extorqui-las para que eles sejam devolvidos.

Como evitar ter o site hackeado

Infelizmente, ainda não existe uma solução que possa garantir que um site nunca será hackeado. Mas seguir algumas boas práticas de segurança digital pode reduzir significativamente os riscos de se tornar uma vítima de um cibercrime e expor os seus visitantes e clientes a riscos. Vejamos alguns dos principais:

Use ferramentas reconhecidas: para construir um site é possível usar diversas plataformas e aplicativos para agregar recursos e tornar a construção ainda mais eficiente e funcional. Mas é importante garantir que todas as ferramentas utilizadas no seu site tenham boa reputação no mercado e sejam criadas por empresas e profissionais reconhecidos na área.

Faça atualizações periódicas: todos os recursos utilizados em seu site devem estar sempre atualizados. Normalmente os desenvolvedores fazem atualizações justamente para eliminar vulnerabilidades que podem facilitar os ataques e eliminar erros.Então é fundamental fazer as atualizações sempre que elas estiverem disponíveis.

Tenha uma boa assessoria jurídica: uma das tarefas de uma assessoria jurídica especializada em direito digital é garantir que o seu site esteja em compliance com as principais práticas de segurança. Com isso, ter um especialista cuidando ativamente dessa área se torna fundamental para garantir que as suas informações e as de seus clientes estejam sempre protegidas.

Mude suas senhas periodicamente: sites com padrões de acesso muito simples estão mais vulneráveis aos ataques. Se você não deseja ter o site hackeado, evite senhas com padrões de números e letras, e as mude periodicamente.

Implemente uma rotina de segurança: devolver boas práticas de segurança digital é outra ação imprescindível para diminuir as chances do seu site ser hackeado. Orientar sua equipe a não visitar sites ou instalar softwares suspeitos, e permitir que as informações confidenciais da empresa sejam acessadas apenas pelos profissionais que realmente precisam delas são algumas políticas interessantes para implementar.

Acho que meu site foi hackeado. O que fazer?

Se você desconfia que seu site foi hackeado, o mais indicado é tirá-lo do ar o quanto antes para uma varredura. Em seguida, faça uma análise minuciosa para observar se realmente houve algum tipo de alteração não autorizada.

Em caso positivo, mobilize imediatamente sua equipe de TI para identificar e corrigir o problema. Também será importante identificar qual foi a “porta de entrada” para o criminoso acessar o seu site. Dependendo da natureza do ataque, será necessário notificar os seus clientes e visitantes.

Caso note que não houve quebra de segurança, ainda assim, vale a pena rever as políticas de proteção e confirmar se não há nenhum aspecto que pode ser otimizado.

Se você não está totalmente certo de que o seu site está de acordo com as principais práticas de segurança e privacidade que as empresas devem adotar, então você precisa de aconselhamento jurídico da Assis e Mendes!

Entre em contato com o escritório especializado em Direito Digital, Direito Empresarial e Tecnologia e descubra como reforçar a sua segurança e a de seus clientes e, de quebra, impulsionar o seu negócio.