Ter um negócio próprio é o desejo de muitos brasileiros, e uma parcela deles não deseja fazer isso no seu país de origem, mas empreender no exterior.

Seja de forma planejada ou pelo acaso de já estar residindo em outro país, conquistar a sua independência financeira com um negócio próprio no exterior é possível, e muitos brasileiros estão obtendo sucesso nessa jornada.

Prova disso é que, segundo dados do Ministério das Relações Exteriores, há mais de 20 mil pequenos e microempreendedores brasileiros fazendo investimentos no exterior. A maior parte deles, cerca de 9 mil, está nos Estados Unidos; outros 1,5 mil empreendem no Japão; e a França aparece em terceiro lugar, com mais de 1,3 mil empreendedores brasileiros.

Também tem o desejo de empreender no exterior? Então confira nossas dicas para se tornar um empreendedor bem sucedido em qualquer lugar do mundo!

Escolha o negócio certo para o país certo

Muitos brasileiros emigram sem saber o que vão empreender em seu novo destino. A maioria acaba não conseguindo uma oferta de trabalho na área em que já atuava no país ou começa informalmente.

Isso pode dar muito certo, mas o ideal é já sair do Brasil com um bom plano de negócios. E para fazer um bom investimento no exterior é só escolher um tipo de negócio que tenha demanda no país e que você possa atender, e para isso é preciso pesquisar muito para descobrir como adequar os seus conhecimentos e talento pessoal para as necessidades e os desejos daquele público.

Entenda as questões legais de empreender no exterior

Muitos países exigem visto de trabalho e outras permissões que só são cedidas aos imigrantes que vão residir permanentemente no país ou que cumprem determinados quesitos.

Há, ainda, alguns que têm uma legislação específica para negócios criados por estrangeiros que podem envolver a contratação de um determinado número de funcionários nativos, pagamento de tributos diferenciados ou a apresentação de resultados periódicos.

Antes de empreender no exterior é preciso avaliar cuidadosamente todos esses quesitos, de preferência com a ajuda de um profissional, para que você possa empreender dentro da lei e evitar problemas que podem culminar na deportação.

Faça um bom planejamento financeiro

Empreender no exterior tem alguns desafios, e um dos principais é ter um bom capital de giro para manter o negócio funcionando até que ele atinja o ponto de equilíbrio e comece a dar lucro.

Em um país diferente, muitos brasileiros têm um valor restrito para viver os primeiros meses e esse montante pode diminuir, consideravelmente, dependendo do custo de vida do local e da relação cambial na conversão de valores.

Nesse sentido, ter um bom planejamento financeiro, que possibilite que o empreendedor arque tanto com as contas da empresa quanto com as suas despesas pessoais é fundamental.

Busque por informações específicas

As leis de imigração para investidores mudam muito de país para país. Se você já tem um destino em mente, é interessante já avaliar quais são as regras e as oportunidades que existem no país em que deseja empreender.

Para além das opções preferidas dos brasileiros, que incluem Estados Unidos, Portugal e Macau, um ótimo material para consultar são as cartilhas sobre como empreender em 13 países, desenvolvidas pelo Ministério das Relações Exteriores em conjunto com consulados de vários países. Os volumes incluem dicas para abrir um negócio no Reino Unido, Holanda, Luxemburgo, Alemanha, Irlanda, Japão, Bélgica, Suriname, Chile, Itália e Suíça, além de edições especiais sobre a região da Nova Inglaterra e da Flórida, nos EUA; e do Quebec, no Canadá.

As cartilhas unem informações sobre imigração, legislação fiscal, alfandegária, trabalhista, informações sobre a área contábil e fiscal, dados sobre capacitação empresarial e profissional, cultura empresarial local e muito mais.

Tenha um plano B 

Nenhum empreendedor quer pensar que seu negócio pode não dar certo, mas é fundamental cogitar essa possibilidade e se preparar para ela, principalmente se você vai empreender no exterior.

Estar preparado para sua empresa demorar mais a lucrar do que o previsto, ou ser necessário mudar a trajetória no meio do caminho vai aumentar suas chances de que o negócio dê certo a longo prazo. Porém, se não der, é muito importante ter um plano B para bancar suas despesas e, eventualmente, retornar ao Brasil.

Ainda tem dúvidas sobre como empreender no exterior? Deixe suas perguntas nos comentários!