Depois do crescimento exponencial dos Bitcoins, as criptomoedas têm ganhado bastante notoriedade e muitos investidores têm se interessado pelas moedas digitais. E junto com a popularidade das criptomoedas, tem se fortalecido, também, a tendência dos ICOs.

O que é ICO?

O ICO é a sigla para Initial Coin Offer, ou Oferta Inicial da Moeda, em tradução livre. O conceito de ICO é bem parecido com o dos IPOs na Bolsa de Valores e também tem como objetivo levantar um valor de capital para desenvolver algo, geralmente projetos de criptografia. Mas no caso dos ICOs, o investidor recebe em criptomoedas ou tokens (que podem ser considerados semelhantes às ações da Bolsa).  

Na prática, o ICO é ainda bastante parecido com as campanhas de crowdfunding. Funciona assim: alguém que está desenvolvendo uma nova criptomoeda as oferece para os investidores em troca de Bitcoins ou outra moeda como forma de financiar o seu projeto. Dessa forma, o desenvolvedor consegue capital para o seu projeto e os investidores recebem retorno conforme o sucesso da moeda.

Como as ofertas são públicas, os ICOs costumam ser anunciados em fóruns do mercado de criptomoedas e os desenvolvedores divulgam informações do projeto, como metas, profissionais envolvidos, cronograma de ações e outros dados que possam convencer os investidores a apostar na ideia.

Normalmente o projeto de arrecadação tem um tempo determinado para vigorar e os tokens têm valores predefinidos. A receita levantada pode ser dividida entre a execução, campanhas publicitárias e entre os próprios desenvolvedores.  

Uma vez que o projeto é concluído, os investidores recebem suas moedas e podem escolher entre guardá-las, vendê-las ou trocá-las por outras.

É uma boa ideia apostar em ICO

Considerando que o ICO é o início de um projeto que pode ser bastante promissor, a resposta é sim, principalmente para quem deseja entrar no mercado de Bitcoins e criptomoedas.

Mas, como em qualquer outro investimento, é preciso tomar bastante cuidado e agir de forma estratégica para ter resultados positivos. Além disso, com a popularização do setor, o mercado de criptomoedas tem atraído muitos criminosos e golpistas, e já foram identificados alguns casos de fraude em ICOs.

Em abril deste ano, a SEC, órgão de segurança americana, acusou a Centra Tech de aplicar um golpe em investidores de ICO. A denúncia afirma que a empresa teria angariado mais de 32 milhões de dólares sem registrar um ICO para conversão.

Os fundadores da Centra Tech teriam conseguido isso afirmando que teriam parceria com empresas de soluções bancárias, como Visa, MasterCard e o banco americano Bancorp. A companhia contou, ainda, com materiais de marketing bem elaborados e publicidade em conjunto com celebridades para convencer os investidores a participar de um ICO que, na verdade, não existia.

Apesar de ainda ser um caso isolado, a fraude mostra como o mercado de criptomoedas ainda é bastante vulnerável a crimes digitais e como é necessário tomar bastante cuidado na hora de apostar nesse tipo de investimento.