Quem inicia um negócio o faz, naturalmente, pensando em obter êxito. Todas as estratégias, planos e ações são criados com foco no sucesso e no crescimento da empresa, mas, para ser realmente bem-sucedido, é necessário pensar nos riscos.

É claro que não é agradável considerar tudo o que pode dar errado no seu empreendimento, mas entender melhor o negócio é fundamental para um passo muito importante rumo ao crescimento, e a melhor forma de fazer isso é tendo uma conscientização de riscos.

Fazer uma conscientização de riscos significa analisar a empresa profundamente, de forma a descobrir os fatores que podem influenciar negativamente no andamento dos seus planos. Isso é importante, principalmente, para que você possa antever os desafios e criar formas de superá-los.

Em outras palavras, a conscientização de riscos é equivalente à máxima “melhor prevenir do que remediar”. Estando ciente das ameaças, fica muito mais fácil estar preparado para combatê-las.

Mas quem faz essa conscientização de riscos? Bom, o ideal é que esse processo seja feito em parceria entre o empreendedor e um advogado especialista. Além de conhecer os aspectos legais e identificar possíveis elementos que precisam ser alinhados para evitar problemas jurídicos, um advogado especialista em Direito Digital, por exemplo, pode apurar itens relacionados a negócios digitais.

Por exemplo, se você tem uma loja virtual, o advogado vai avaliar se seu e-commerce está em dia com a tributação vigente e dentro do regime apropriado; se os seus Termos de Uso e de Privacidade estão realmente corretos, se sua loja está preparada para as determinações do GDPR e demais questões ligadas à privacidade, auxiliar na proteção contra fraudes e outros crimes digitais e muito mais.

Em outras palavras, é este profissional quem vai identificar todas as fraquezas do negócio e te mostrar o caminho das pedras para corrigi-las ou saber como lidar com elas, caso se tornem problemas.

Podemos dividir os principais perigos levantados pela conscientização de riscos em duas categorias principais.

Conscientização de riscos externos

A conscientização de riscos pode começar a análise pelos riscos externos. Estes dizem respeito a elementos que não estão diretamente relacionados à administração da empresa, e costumam ser os que o empreendedor identifica mais facilmente, afinal, é muito mais fácil ver problemas fora do que dentro do negócio, não é mesmo?

Os riscos externos podem ser um concorrente que está crescendo no mercado, o aumento de preços dentro do seu setor, um fornecedor que demora muito para entregar a mercadoria ou um endurecimento nas políticas sanitárias e tributárias, por exemplo.

Estas ameaças, apesar de não serem consequências diretas das suas ações, impactam o seu mercado e, consequentemente, sua empresa. Fazendo uma boa conscientização de riscos nesse sentido, será possível perceber as principais mudanças que o segmento sofrerá e começar a desenhar estratégias para lidar com elas.

Conscientização de riscos internos

Os riscos internos, muitas vezes, são os mais difíceis de perceber porque o empreendedor normalmente acha que está fazendo tudo certo, e é aí que a presença de um bom advogado faz toda a diferença.

Ele fará a conscientização de riscos internos, como políticas de uso e contratos mal preparados, discrepâncias entre deveres e direitos de sócios, planos de negócios desatualizados, sites e outras peças digitais mal formuladas, processos desalinhados, tributações e contratação de funcionários feitas de forma incorreta e muito mais.

Todos esses problemas internos podem causar danos graves à saúde da empresa, mas um advogado especializado poderá identificá-los antes de isso acontecer.

Por exemplo, muitas micro e pequenas empresas não cuidam adequadamente do setor financeiro. Se um especialista, em processo de conscientização de riscos, percebe que o fluxo de caixa não está sendo atualizado corretamente e o empreendedor faz retiradas contínuas, de acordo com o que precisa para pagar suas despesas pessoais, ele poderá implementar práticas mais profissionais da gestão financeira e orientar o empreendedor a receber um pró-labore fixo.

Essas práticas, com certeza, vão melhorar a saúde do negócio e diminuir os riscos de problemas financeiros acabarem levando a empresa à falência.

Também quer saber quais são os pontos fracos da sua empresa e como superá-los? Então conheça a conscientização de riscos do Assis e Mendes Advogados, um escritório especializado em Direito Empresarial, Direito Digital e tecnologia que tem todas as ferramentas e os melhores profissionais para ajudá-lo a crescer ainda mais.